ARTIGOS

Primeiro caso de Covid-19 em animal do país é registrado em Cuiabá

Publicados

em

O teste deu positivo para coronavírus em uma gata de estimação, que contraiu a doença dos tutores dela.

O primeiro caso de Covid-19 em animal no Brasil foi registrado em Cuiabá, na última semana. O teste deu positivo para coronavírus em uma gata de estimação, que contraiu a doença dos tutores dela.

O Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS) da Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá confirmou, nesta segunda-feira (19), que este foi o primeiro caso documentado no país.

O animal testou positivo pelo exame molecular de PCR, feito na Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Segundo a pesquisadora, Valéria Dutra, professora da Faculdade de Medicina Veterinária da universidade, a gata não tem sintomas do coronavírus.

Apesar de ser veterinária, Valéria foi convocada para testar pessoas no Hospital Universitário Julio Müller, na capital, porque ela faz parte de um grupo de estudos em testes de PCR.

Ela conta que tinha o hábito de perguntar às pessoas com Covid-19 que ela atendia, se tinham animais domésticos e se aceitavam que eles fossem testados.

Leia Também:  Câmara de Cuiabá é a segunda do País que mais ampliou gastos em 2020

Os donos da gata que teve a confirmação da doença também estavam com coronavírus e tinham alta carga viral.

Segundo a veterinária, a gata foi infectada porque teve contato com os donos durante o período de isolamento deles.

O animal pertence a um casal com um filho pequeno. Todos foram infectados em uma festa de família, em setembro. Os pais adoeceram, mas a criança ficou assintomática, assim como o animal.

As amostras colhidas foram ainda enviadas para Universidade Federal do Paraná, onde há sorologia para pets, e também para um laboratório em Minas Gerais.

Valéria e os outros pesquisadores aguardam os resultados dos exames que foram feitos nos dois estados.

A secretaria de Cuiabá informou, ainda, que o caso está sendo investigado pela Unidade de Vigilância de Zoonoses do município.

A gestora do CIEVS, Moema Blatt, orienta os doentes em isolamento domiciliar a manterem distância de gatos, pois eles podem ser vítimas, ainda que praticamente assintomáticos.

Estudos ainda estão sendo feitos para confirmar se os animais transmitem o vírus para o ser humano.

Leia Também:  Vacinas contra a Covid-19 serão testadas em voluntários de Mato Grosso

fonte: g1 mt

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ARTIGOS

Covid-19: Anvisa autoriza importação de matéria-prima para vacina

Publicados

em

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou hoje (28) a importação, em caráter excepcional, da vacina CoronaVac na forma de produto intermediário, ou seja, não envasado. O insumo é fabricado pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan.

Por meio de nota, a agência informou que a solicitação de importação da matéria-prima para fabricação da vacina foi feita pelo próprio Butantan. A CoronaVac ainda não tem registro no Brasil. “Os estudos ainda estão em andamento e não existe previsão de data para a vacinação”, ressaltou a Anvisa.

Testes clínicos

A CoronaVac está na terceira fase de testes clínicos. Como a Anvisa já havia aprovado a ampliação do estudo para 13 mil voluntários, o governo paulista decidiu ampliar o número de centros de pesquisa. Na fase atual, metade dos participantes recebe a vacina e a outra metade, placebo.

Caso a última etapa de testes comprove a eficácia da vacina, o acordo entre a Sinovac e o Butantan prevê a transferência de tecnologia para produção do imunizante no Brasil.

Eficácia

Para comprovar a eficácia da vacina, é preciso que pelo menos 61 participantes do estudo, que tomaram placebo, sejam contaminados pelo vírus. A partir dessa amostragem, é feita então uma comparação com o total dos que receberam a vacina e, eventualmente, também tiveram diagnóstico positivo da covid-19.

Leia Também:  Detran moderniza prova teórica para habilitação de condutores em MT

Se o imunizante atingir os índices necessários de eficácia e segurança, será submetido a uma avaliação da Anvisa para registro e só então a vacina estaria liberada para aplicação na população.

Fonte: EBC Saúde
COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA