Brasil

Com ameaça de segunda onda, Bolsonaro recomenda ‘tratamento precoce’ para Covid-19

Publicados

em

O presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) recomendou nesta manhã de quinta-feira, 19, que, aos primeiros sintomas de Covid-19, o paciente inicie um ‘tratamento precoce’. O Brasil vive um momento de ameaça de uma segunda onda de coronavírus. Na última semana, estados de todas as regiões começaram a registrar aumento no número de casos e internações. O presidente também enfatizou a necessidade de procurar um médico. “Aos primeiros sintomas, procure um médico e inicie o tratamento precoce”, disse em suas redes sociais. Ele não detalha quais seriam as opções de tratamento precoce, mas o presidente é conhecido por ser um defensor do uso da cloroquina e hidroxicloroquina contra o vírus. Os medicamentos, no entanto, não têm comprovação científica para tratamento da Covid-19. Em seguida, utilizou caixa alta para enfatizar as medidas. “Não espere sentir falta de ar para tomar essa decisão”.

A recomendação para procurar um especialista vai de encontro com as orientações do Ministério da Saúde. Bolsonaro, porém, não menciona o uso de máscara e o distanciamento social em sua postagem, principais recomendações da área da saúde. A foto que acompanha a publicação, inclusive, critica o isolamento social. “Se o ‘fique em casa’ fosse aplicado no campo, teríamos desabastecimento, fome, miséria e até problemas sociais”, escreveu o presidente. “Graças a vocês (trabalhadores do campo), que não pararam, nós da cidade continuamos sobrevivendo”, relembrou o presidente em referência à cerimônia de entrega de títulos de propriedades rurais na cidade de Flores de Goiás, na quarta-feira, 18. Na ocasião, Bolsonaro parabenizou os agricultores por não “terem se mostrado frouxos na hora da angústia”. O presidente também afirmou que o Brasil é um dos países com maior número de recuperados da doença no mundo. Segundo o Ministério da Saúde, o país registra 5.389.863 milhões de pessoas recuperadas. Porém, o Brasil é o segundo em número de óbitos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. 167.455 brasileiros já morreram em decorrência do coronavírus.

Leia Também:  MT registra mais de mil novos casos de Covid-19 e 9 mortes nas últimas 24 horas

Fonte: Jovem Pan

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

Brasil

DPVAT não será cobrado em 2021

Publicados

em

O Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP), vinculado ao Ministério da Economia, aprovou na última terça-feira (29) o prêmio zero para o DPVAT em 2021. Dessa forma não haverá cobrança da taxa do seguro em 2021. O DPVAT é um seguro obrigatório, usado para indenização de vítimas de acidente de trânsito.

Segundo a Superintendência de Seguros Privados (Susep), não haverá cobrança em 2021 porque o DPVAT tem recursos em caixa suficientes para a operação no próximo ano. Esses recursos são de valores pagos em anos anteriores e que não foram utilizados.

Com a decisão, o seguro continua existindo, mas o motorista não precisará pagar o DPVAT. Em 2020, o DPVAT passou por redução de 68% para carros, passando para R$ 5,23, e de 86% para motos, chegando a R$ 12,30.

Do valor arrecadado pelo pagamento do seguro obrigatório:

50% são destinados ao pagamento das indenizações;

45% vão para o Ministério da Saúde (pagamento do atendimento médico de vítimas);

5% vão para programas de prevenção de acidentes.

Leia Também:  Tratamento precoce contra o câncer de mama torna Oncocenter referência em MT

O que é o DPVAT?

O seguro DPVAT (Danos Pessoais causados por Veículos Automotores de Via Terrestre), instituído por lei desde 1974, cobre casos de morte, invalidez permanente ou despesas com assistências médica e suplementares (DAMS) por lesões de menor gravidade causadas por acidentes de trânsito em todo o país.

Vítimas e herdeiros (no caso de morte) têm um prazo de 3 anos após o acidente para dar entrada no seguro. Informações de como receber o DPVAT podem ser obtidas pelo telefone 0800-022-1204.

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA