Tecnologia

SSD NVMe: veja seis opções de armazenamento rápido para comprar em 2020

Publicados

em

Armazenamento promete superar SSDs SATA e HDs tradicionais; componentes do tipo devem funcionar bem principalmente para jogar

Ter um SSD NVMe instalado no PC ou notebook pode fazer a diferença no dia a dia, independente do tipo de uso desejado. Marcas como Samsung, Western Digital, Adata, entre outras oferecem opçÕes do tipo, que prometem ser bem mais rápidas e resistentes que HDs tradicionais, além de superar o desempenho de SSDs SATA mais em conta.

Modelos NVMe também são os mais indicados para montar um PC gamer que possa bater de frente com o Playstation 5 (PS5) e Xbox Series X, consoles de nova geração. Confira a seguir uma gama de opções do armazenamento à venda no Brasil com o padrão, que conecta diretamente via interfaces PCle 3.0 e 4.0.

                                   1. Adata XPG SX8200 Pro – a partir de R$ 424

O modelo da Adata é uma opção para quem procura armazenamento de alta performance pagando menos. O XPG SX8200 Pro é encontrado no Brasil em opções com 256, 512 GB, 1 e 2 TB de capacidade. Nas nossas buscas, o modelo de 256 GB parte de R$ 424 no momento.

Do ponto de vista do desempenho, o SSD da Adata registra números que o classificam entre as alternativas mais rápidas da atualidade considerando o padrão NVMe com PCIe de terceira geração. A Adata promete leitura de até 3.500 MB/s e gravação na casa dos 3.000 MB/s. Assim como marcas mais famosas, a Adata oferece garantia de cinco anos junto ao produto.

                      2. Western Digital Black SN750 – a partir de R$ 479

A série Black é a top de linha entre os SSDs da WD. No momento, o SN750 é o mais poderoso da série entre as unidades PCIe 3.0, prometendo velocidades de 3.430 MB/s para leitura e 3.000 MB/s na escrita. Os valores ficam na média do que se espera em SSDs de ponta. A fabricante oferece ainda garantia de cinco anos no produto.

Na capacidade, o WD pode ser encontrado em unidades com 250 ou 500 GB, além de 1 ou 2 TB. Apesar da opção de ser instalado em notebooks, vale ficar atento para as versões que chegam com dissipador de calor montado no próprio componente. Bem mais espessas, essas unidades são interessantes para desktops, diminuindo o trabalho do sistema de ventilação do PC. Nas nossas pesquisas, foi possível encontrar o SN750 a preços que começam em R$ 479 para a unidade de 250 GB.

Leia Também:  Projeto de lei sugere a utilização de drones no combate às queimadas em MT
COMENTE ABAIXO:
Propaganda

ECONOMIA

Projeto de lei sugere a utilização de drones no combate às queimadas em MT

Publicados

em

Essa tecnologia fornece informações de qualidade, em tempo real, mas sem expor as equipes a maiores riscos.

Um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa regulamenta a utilização de veículo aéreo não tripulado (Vant) ou drone para as ações de fiscalização da Polícia Militar Ambiental e do Corpo de Bombeiros no combate a incêndios florestais e outras ações de fiscalização em Mato Grosso. Essa tecnologia fornece informações de qualidade, em tempo real, mas sem expor as equipes a maiores riscos.

Conforme o deputado estadual Dr. Gimenez (PV), autor do projeto, os drones são ferramentas de apoio que podem ser cruciais no combate a incêndios florestais de grande escala e que tendem a ficar fora de controle rapidamente, colocando em perigo os profissionais das equipes de resgate e de combate ao fogo.

Com a tecnologia, os profissionais das forças de segurança terão mais condições de tomar decisões rápidas e assertivas sobre o deslocamento da equipe de brigadistas e, se necessário, fazer a evacuação de comunidades que possam ser impactadas. Os drones também voam em altitudes mais baixas que os helicópteros e navegam em espaços apertados ou perigosos, fornecendo uma imagem mais sutil da situação.

Leia Também:  Projeto de lei sugere a utilização de drones no combate às queimadas em MT

A proposição surgiu diante das perdas que aconteceram no Pantanal mato-grossense, que de janeiro até o final de agosto, havia queimado uma área correspondente a 12 cidades de São Paulo – 18.646 km2, cerca de 12% da área total do bioma –, segundo dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

CATEGORIA

MAIS LIDAS DA SEMANA